Conteúdo adulto

domingo, 11 de setembro de 2011

11 de Setembro de 2011

Estava eu
A estudar
Quando um avião
Passou por Nova Iorque
E por lá ficou
Quebrando a Microsoft humana
E na minha escola
Uma telemensagem amorosa
Um buquê de rosas
Vermelhas
Shame flame
Chame a pessoa amada
E ouça o som do amor
***
Combustíveis gastos
Numa torre
E noutra
e mortes
e suicídios
Famílias quebradas
Poeira de almas
Que desestruturaram uma estrutura mais do que sólida
Do bem
***
E na escola
Amores sendo revelados
Buquês de rosas
Amor
Shame love
Em chamas
Vergonha de quem recebe a telemensagem
Coragem de quem atacou a pessoa amada com rosas
***
Vergonha de quem matou mais de 2 mil pessoas
2.996, para ser mais exato
Vergonha de quem negligenciou o aviso fatal
E de quem vaticinou a inteligência do pentágono
Como se ele fosse indestrutível
O conhecimento pentágono indestrutível
Pois está na cabeça das pessoas
Se esta, conhecedora, pudesse ter avisado, seria corajosa e honrada
***
Vergonha do mundo terror
Vergonha dos Kamikases
Dos que te deixam de cabeça pra baixo
E conservam teu crânio
Sem cérebro
***
Medo dos suicidas ao fogo
Salvação para os suicidas da alma
Corações em chamas
Atirados ao céu profundo
Descansem as almas dos que foram queimados vivos
Dos soterrados
E dos aterorizados
Proteção divina aos nova-iorquinos
Aos bombeiros e salva vidas anônimos
Proteção divina e civil
Civilização séc xxi
Em um país emergente
A decadência do amor ao próximo
Nunca iniciará
***
O que restaram daquele dia de 2001
Foram só poeiras
Amores brutos
Concreto
Entulho
E lágrimas de chuva
*****
Hoje
Setembro de 2011
Eu estou feliz
Como brasileiro
Pois tenho orgulho a minha pátria emergente
Como filho
Pois tenho uma família harmoniosa
e nenhum kamikaze
Só cama
E casamentos
Hoje, 11 de setembro
Estou feliz
Pois é aniversário de minha mãe
Dona Terezinha
Sessenta anos
Parabéns mãe!
Por me educar para ser correto
E por ter compaixão a todas as pessoas
Menos favorecidas
Muitíssimo obrigado e Parabéns
E que venham mais sessenta anos.

Um comentário:

Michele P. disse...

Áthila

Boquiaberta aqui! Texto imputável!
Você foi fantástico ao descrever o contraste entre a dor e o amor, o medo e a alegria. Literariamente falando, você arrasou!
Muito bom!

Beijos